quinta-feira, 22 de dezembro de 2016

Naquele tempo...























Crédito da foto:  Autor desconhecido

Éramos muito amigos desde o primeiro ano escolar. 
.
Eu não havia percebido, até os meus 16 anos, que aquela garota mexia com todos os meus sentidos. Acho que estava apaixonado há muito tempo e não sabia o que fazer...
.
Havia um Clube onde íamos sempre, todos os amigos, nas famosas "brincadeiras dançantes" ou até mesmo os bailes.
.
Apesar de nossa grande amizade, não havia dançado com ela muitas vezes. Até que um certo dia, depois de uma tremedeira, percebi que não iria mais conseguir ficar sem abraçar aquela belíssima garota.
.
O que será que ela sentia por mim ? .
.
Estufei o peito, criei coragem e fui fazer a coisa mais difícil de minha vida: confessar que estava apaixonado mas, porém, todavia, contudo e senão,... com um medo danado de ouvir o "tradicional" NÃO, pois naquele tempo, não se declarava diretamente sem a interferência dos e das outros(as) amigos(as) que levavam e traziam as informações.
.
Começamos um diálogo:
.
- Eu gosto muito de dançar com você, Você tem um jeitinho tão gostoso de dançar. E o seu cheirinho,... ah que delícia. Sempre fomos muito amigos, não é mesmo ?. Por isso preciso contar um segredinho e pedir sua opinião, posso ?.
- Claro que pode. Somos amigos...
- Pois é: descobri que estou apaixonado por uma grande amiga e não sei o que fazer para me declarar porque tenho medo que ela não sinta o mesmo e acabe até ofendendo-se e propondo o fim de nossa amizade.
- Eu a conheço ?.
- Sim, você com toda certeza é a pessoa que mais a conhece.
- Quem ela é ?.
- Bem, é difícil dizer... estou tremendo de medo, pois vai saber o que vai acontecer depois.
- Fale. Não vou provocar nenhum problema. Pode contar. Somos amigos, muito amigos.
- Pois é: este é o problema - somos muito amigos.
- Ser amigos é um problema ?.
- Sim, é o maior problema do mundo e eu não quero perder sua amizade por nada.
- Prometo que não vou fazer isso.
- Posso contar então ?.
- Claro, estou curiosíssima !.
- Ela é a garota mais linda que eu conheço. Ela é delicada, gentil, atenciosa. Loira, cabelos compridos... E é uma delícia dançar com ela, assim como estamos dançando agora. Eu gostaria, aliás, sonho estar com ela sempre. Fico só imaginando amanhã todos sabendo e nós andando de mãos dadas pelas ruas... Vai todo mundo admirar e morrer de inveja !.
- Nossa !. Ela é tudo isso pra você ?.
- Sim. Ela é mesmo tudo isso pra mim. Até já conversei sobre isso com o seu irmão.
- Meu irmão ?. Ele também sabe quem é ?. E o que ele disse ?.
- Ele respondeu que ficaria muito feliz que eu fosse o cunhado dele....
- Ah !
- Entendeu ?.
- Você está falando de mim ?.
- Desculpe se a ofendi. Sim, estou mesmo apaixonado por você e queria que fosse minha namorada.
- Puxa !. Nunca pensei que você tivesse algum interesse por mim .
- Faz tempo, mas eu não sabia como dizer. Você está ofendida com isso ?. Lembre que prometeu não perder a amizade...
- Não. Não estou ofendida não. Na verdade estava estranhando por que você nunca disse ... Eu queria também. E justo hoje, nesse baile... Era o que eu mais queria porque sinto que também estou apaixonada por você !.
- Seu irmão está lá atrás olhando e sorrindo, fazendo sinal de positivo. Vamos contar para ele ?.
- Vamos. E minhas amigas, já haviam perguntado também quando é que você iria criar coragem e me pedir para namorarmos. Olha só como nos olham... Estão fofocando e todo mundo agora já sabe !. Estou feliz !.
- Você me fez sentir o homem mais feliz do mundo !.
.
A música era cúmplice, em tons suaves que parecia que os músicos também estavam aguardando aquele momento !.
.
Ficamos juntos muitos anos. Quantas alegrias, quanta felicidade.
.
Um dia ela adoeceu. Foi um longo período de tristezas com os tratamentos. Estive ao seu lado sempre, inconformado com tudo aquilo. Naquele leito do hospital, segurei sua mão e ela olhava-me triste dizendo que ainda iríamos nos encontrar
.
Hoje mora no Céu !.
.
Faz muito tempo. Seu irmão disse que gostavam muito de mim e que ela foi muito feliz.
.
A SAT era nosso lugar constante. Continua em meus pensamentos, nós dois, só nós dois dançando...
.
Até qualquer dia...
.

.
Ran dez 2016

Um comentário:

  1. Oi Raul
    Linda música, mas muito triste essa sua historia.

    ResponderExcluir