domingo, 19 de janeiro de 2014

VÁ PROS QUINTO DOS INFERNO !

Tava fazendo um frio de “lascá os cano” e pra piorar, tava garoando e era noite. Marquinhos queria ter ido viajar com seus amigos para o acampamento de férias,... "O TÃO ESPERADO ACAMPAMENTO DE FÉRIAS ESCOLARES DE JULHO !!! "

Não foi !

Ele estava com 14 anos de idade, na 8ª série do 1º grau e no domingo seguinte, data de aniversário da cidade, ia acontecer uma grande festa da Igreja: "A FESTA DA PRIMEIRA COMUNHÃO" !

Tradicionalmente os jovens fazem a primeira comunhão com menos de 12 anos de idade. Marquinhos tinha 14 e ainda não tinha feito. Que vergonha !

Seus pais haviam dito ano anterior que se ele não fizesse a primeira comunhão, iria receber um castigo que não era pra esquecer nunca !

Recebeu o castigo e não esqueceu !

O pior de tudo é que seus amigos também não esqueceram e não o pouparam das provocações, lembradas por muitos anos ainda.

Chegado o dia da Confissão ele não sabia ainda o que dizer. Leu o catecismo e tentou decorar os  " Mandamentos ". Eram só 10 Mandamentos. Uma loucura: poderiam ser só 2  ou 3. Mas eram 10 e não ia dar tempo pra decorar.

Todas as crianças naquela cidadezinha católica começavam aulas de catecismo logo que aprendiam a ler e escrever, ou seja, por volta dos 7 anos de idade. Marquinhos era repetente do catecismo por muitos anos porque ele saia de casa para a Igreja, mas ao invés de ir às aulas, ele ia jogar ping-pong no salão da Congregação Irmãos Marianos e seus pais não sabiam.

Apesar de muito novo ele era exímio jogador de ping-pong e invariavelmente ganhava campeonatos até em categorias superiores a sua idade. Seus pais ficavam orgulhosos, gabavam-se disso e acabavam relevando a falta do filho.

Quando ele via a Beata que dava aulas de catecismo, tentava disfarçar e fugir. Mas ela chegava com um sorriso tão angelica diretamente até ele e dizia:

- Marquinhos, meu filho. Você não tem freqüentado as aulinhas de catecismo. Papai do Céu não vai gostar disso. Você está cometendo um pecado. Olha só a Martinha que é da sua idade,... ela começou com você e já fez a Primeira Comunhão já faz uns 4 anos !

Marquinhos ficava “p. da vida”. Todo mundo olhava pra ele com ar de provocação quando ele era chamado à atenção. E, para piorar mais ainda, ele ainda tinha que abaixar a cabeça, dizer um contrariado “Sim Senhora” e ainda beijar a mão da Beata e pedir a sua bênção! Era tudo que poderia acontecer pra estragar sua semana.

E estragava toda semana!

Mas, naquela noite, mais ou menos 7 horas da noite, com aquele frio danado, ele foi pra fila das crianças que iriam fazer a confissão para a Primeira Comunhão. Todos pequenos e ele grandão.

Todos olhavam pra ele e ele fazia caretas, mostrava a língua e morria de vergonha: um marmanjo de 14  anos e de calças curtas, com as pernas já cabeludas.

Parecia piada, mas não era !

Ele já estava na fila fazia uns 20 minutos e parecia que aquilo não ia terminar nunca. Na sua frente havia ainda umas 3 crianças, mas,... atrás... ele nem ousou contar porque deveria ter mais de 30. E todos esses cochichando sobre o “marmanjo” na frente que ainda não tinha feito a Primeira Comunhão!

Pegou o caderninho do catecismo e começou a ler. Não entendeu nada. Estava nervoso, com frio e putíssimo da vida! Pensou:

- Tudo bem, que se foda! Eu chego lá e digo que pequei e pronto! Mas,... e se o padre perguntar contra que mandamento? Bem, eu vou então dizer que tive maus pensamentos e tá liquidado o papo, afinal geralmente o Cônego, aquele velhinho é bonzinho e não vai querer fazer perguntas !

Errou!

Não era o Cônego, aquele velhinho bonzinho. Era um padreco metido a besta que tinha acabado de chegar na cidade. Ninguém conhecia o “franguinho”: - cabelinho bem penteado, cara de boy, metido a cantor, um topete tipo “Tony Curtis”... só faltava mascar chiclete e um sotaque que não era típico da cidade. Ele não falava “ pórta abérta, janela tórta, se vinhé chuva ou sór, ninguém simpórta ! ” O malandro falava bonito, devia ter vindo da “capitar”.
O PADRECO
Filho da mãe, quando estava chegando a vez de Marquinhos, saiu do confessionário, olhou bem pra fila, olhou pra cara do Marquinhos com um sorriso irônico do tipo “aí, filho da puta, agora chegou sua vez... vou te fuder!” e saiu apressado lá pro lado da sacristia, onde tinha uma “pórta abérta que não era tórta” que levava ao banheiro.

"Viadinho" (o padréco) devia ter ido dar uma mijada mas demorou tanto que, com certeza, aproveitou também pra dar uma bela cagada, só pra deixar Marquinhos com mais vergonha e mais puto ainda.

... (peço desculpas às Santas Senhoras Beatas, castas, puras e puritanas que estiverem lendo isso aqui, mas o padreco me irritou).

Voltou esfregando as mãos e com um sorriso muito filho da puta! Olhou pra Marquinhos com aquele olhar desmoronador, e só acenou com a mão chamando pra ajoelhar....

E Marquinhos foi: “ajoelhou tem que rezar!”

Padréco perguntou o nome e Marquinhos, deu seu nome, sobrenome e até endereço (ele era detalhista porque não sabia o que dizer).

- E aí, Marquinhos você cometeu algum pecado contra os Mandamentos da Lei de Deus ?
- Sim seu padre. Acho que sim !
- Acha? Mas contra que mandamentos você pecou ?
- Bem,.... eu tive maus pensamentos, falei bobagens....!
- Mas você não sabe dizer contra quais mandamentos? É isso que dá ficar jogando ping-pong quando deveria estudar o catecismo. Diz logo que pecados você cometeu e eu vou lhe ensinar quais são os mandamentos !
- Tá bem. O Sr. quer saber o quê ?
- Desembucha logo malandro, que tem uma fila enorme atrás de você e todos estão rindo porque você é um marmanjo que ainda não fez sua primeira comunhão !
- Então, eu tive maus pensamentos e fiz bobagens !
- Que tipo de bobagens? Você quer dizer que fez “coisas com animais”? por exemplo, galinha, cadelinha, cabritinha, bateu umas punhetinhas ?
- É !
- É? Só isso? E você não fez bobagens com meninas ou meninos ?
- Fiz sim, mas foram só umas três vezes... mas só com meninas !!! ... ah, também teve uma cabritinha !
- Então confessa logo que vou ver se tem perdão !

Marquinhos ficou muito irritado e pensou: "ainda vou dar uma ferrada nesse padreco duma figa"

- Ah !... Outro dia fui lá atrás do quintal da Lurdinha, a filha do Diretor da Escola e da Dona Lucia, aquela professora de piano e ficamos brincando lá atrás das árvores... eu, a Lurdinha, a Martinha que é a filha do Prefeito e da Dona Cidinha lá da fazenda... mas aí a mãe da Lurdinha saiu correndo lá no quintal pra ver o que estava acontecendo eu saí correndo com a roupa na mão e quando fui passar na cerca de arame farpado, me machuquei e meu calção ficou preso e eu tive que correr pelado pra casa !... Mas ninguém me viu não, viu ?
- Bem feito, seu vagabundo! Tem mais pecado, seu malandro ?
- Ah, também fiz bobagens com a minha priminha a Vera, filha da minha tia Alice e do meu Tio José, que é o Delegado... mas o senhor não vai contar pra ele não porque eu não quero ir pra cadeia ... !
- Acabou? Vou pegar logo o " Livrão das Penitências " e você vai ficar o ano todo rezando e ajoelhando no milho pra pagar os seus pecados! Senão eu conto pro seu Tio !

Marquinhos mais puto da vida ainda, vendo a "viola em cacos", decidiu então acabar com o padreco:

- Ah,... quase ia me esquecendo: Outro dia fui brincar de casinha na casa daquela "sua sobrinha" a Ana Maria, que é a filha do Seu Manoel aquele médico que é o irmão do Senhor, Seu Padre, mas eu não vou mais lá não, viu ? Agora que sei que ela é sua sobrinha... Mas, também teve outros dias que...... !

O Padre, putíssimo da vida nem esperou mais Marquinhos acabar a confissão. Saiu muito bravo do confessionário, todo histérico, desequilibrado, balançando o topete, olhou pra fila enorme que aguardava a vez, assustada com o que estava acontecendo, apontou o dedo para Marquinhos e disse:

- " VÁ PROSQUINTO DOS INFERNO ” , ... " Seu Capetinha " e eu vou te excomungar. Some daqui e não apareça nunca mais !

Marquinhos sem entender o que estava acontecendo e por quê o padre estava tão bravo, levantou vagarosamente e foi “saindo de fininho” sem olhar pra trás praquelas crianças que estavam ainda mais assustadas do que ele e foi embora deixando um rastro de urina por onde passava, tal era o medo que sentia! (apesar dum sorriso irônico muito fdp).

No domingo, dia da Primeira Comunhão, Marquinhos foi pra Igreja e ficou lá atrás bem escondido, olhando pra todos os lados pra saber se o padreco estava lá. Não viu o padreco mas ficou na dúvida se deveria ir ou não ir pegar a hóstia.

E eis que a Beata, com aquele cândido sorriso, chegou até Marquinhos, tomou suas mãos e colocou-as em forma de oração e disse:

- Meu filho,... estou muito orgulhosa de você! Hoje é a sua Primeira Comunhão. Segue a fila e vá receber a bênção de Deus !

Então... ele, como um gato que fez arte e sabe que vai apanhar, seguiu em frente com as mãos em “estado de graça” e recebeu das mãos daquele Santo Padre Italiano que rezava a missa, o perdão eterno através da Hóstia Sagrada  !

... O Padreco nunca mais foi visto na cidade !

... Marquinhos, ... bem, ... Marquinhos tornou-se SANTO ! Agora ele é um Pastor! ... (cuida das ovelhas da igreja)

Um comentário:

  1. Muito lindo!!!
    Você escreve muito bem!!!
    bju
    14 DE OUTUBRO DE 2007 07:22
    Zezeh

    ResponderExcluir