quinta-feira, 16 de setembro de 2010

O QUE FAZER ?

Muitas vezes somos acometidos de um sentimento que nos deixa sem rumo, sem norte, sem saber o que fazer. 


A dúvida invade e transforma-nos de tal forma que passamos a procurar algum tipo de prazer, como fuga, que possa deixar de lado aquele problema ou situação que é difícil de chegar a uma conclusão e, menos ainda, que nos encoraje a levantar a cabeça e dizer:
- È isso que eu quero e é aquilo que não quero !
E quando se conclui o que se quer, sofrimentos cessam tanto os internos de quem os sentem quanto daqueles outros que, ansiosos, expectam.
Opta-se, na maioria das vezes, pelo TEMPO.  Dizem que “o tempo tudo resolve”. Mas, o tempo vai... vai... e vai longe e, com ele, também vão esperanças que acabam fenecendo desapontadas.
A dúvida constitui, mais do que um conceito, todo um vasto tema na reflexão filosófica, pelo que importa distinguir entre as variantes da sua determinação nocional e correlação com outros conceitos e as teorias, métodos e procedimentos que de algum modo sistematizam.
O Espanto, a Ilusão, o Erro e a Ignorância constituem, entre outras atitudes, noções que exemplificam essa correlação negativa da dúvida face ao conhecimento.
SÓCRATES, o filósofo grego (470 – 399 A.C.) dizia, entre tantas outras:


Ø  Deve-se temer mais o amor de uma mulher que o ódio de um homem !
Ø  Uma vida sem desafios, não vale a pena ser vivida !
Ø  Só quem entende a beleza do perdão pode julgar seus semelhantes !
Ø  Creio que tenho prova suficiente de que falo a verdade !
Ø  Pois bem, é hora de ir: eu para morrer e vós para viver. Quem de nós irá para o melhor é obscuro a todos, menos a Deus !


MARIO QUINTANA, (1906 - 1994), grande poeta, pensador, escritor e jornalista brasileiro dizia:


Ø  A amizade é um amor que nunca morre !
Ø  A arte de viver é simplesmente a arte de conviver. Simplesmente, disse eu ? Mas como é difícil !
Ø  Quantas vezes a gente, em busca da ventura, procede tal qual o Avozinho infeliz: Em vão, por toda parte, os óculos procura,... tendo-os na ponta do nariz !
Ø Do amoroso Esquecimento  - Eu, agora - que desfecho ! Já nem mais penso em ti... Mas, porque será que nunca deixo de lembrar que te esqueci ?
Ø  O tempo não pára, Só a Saudade é que faz as coisas pararem no tempo...
Ø  Se me esqueceres, só uma coisa, esquece-me bem devagarinho !
Ø  Tão bom morrer de amor e continuar vivendo...


MACHADO DE ASSIS, poeta, escritor brasileiro e patrono da Academia Brasileira de Letras (1839 - 1908).


Ø  Creia em si, mas não Duvide sempre dos outros !
Ø  Não levante a espada sobre a cabeça daquele que lhe pediu perdão !
Ø  Esquecer é uma necessidade. A vida é uma lousa, em que o destino, para escrever um novo caso, precisa de apagar o caso escrito !
Ø  Guarda em ti estes versos que escrevi chorando como alívio a minha saudade, como um dever do meu amor. E quando houver em ti um eco de saudade, beija esses versos que escrevi com tanto amor ... e chore também a minha saudade !


Não sei, ... bem provavelmente eu tenha mesmo que viver sozinho !
Acho que seria mais fácil para o resto do mundo, para mim... não faço idéia do que seria. Mas eu poderia ficar louco, ou poderia finalmente encontrar minha sanidade. Poderia me desesperar e fugir ou simplesmente me encontrar perdido em cada recanto.
É ilusão acreditar que sabemos compartilhar. Sinto que nunca nos demos inteiramente, que sempre guardamos uma parte de cada um, só para si mesmo. Egoísmo, medo,... ?
Tenho vontade de correr! Correr para fora de mim e quem sabe assim me enxergar plenamente. Ou eu deva apenas fechar os olhos por algum tempo e esperar que as respostas venham de dentro. Mas, seria isso a solução racional, ou seja, esperar que como em um passe de mágica apareça à frente toda enfeitada e convincente a solução que não lutamos para encontrar senão apenas ficamos contemplando, esperando,... esperando... dizendo: Não sei o que quero, não sei o que fazer,... não sei... Melhor ficar quieto e só e aguardar que venha, espontaneamente, a solução do que eu deva fazer.
Preciso ficar sozinho! E não sei por quanto tempo. Mas,... não consigo ficar sozinho ! Parece tão simples! Tão óbvio! Mas não consigo! Quero fugir de mim! Encontrar alguma coisa que substitua esse vazio e traga alegria, mesmo que mera ilusão,... sei lá se é ilusão.  O conhecido não me apraz, ou será que sim ? O desconhecido é prazeroso... mas será mesmo e até quando ?
Eu estou sozinho?... Agora acho que sim, parece que totalmente e perdido no meu mundo, nas minhas idéias e nas coisas que não sei mais...
Vou fechar os olhos. Talvez até chorar... sentir sentimentos não tão nobres, talvez até raiva... Mas a única certeza que tenho é que não sei o que eu quero e menos ainda o que fazer !
Duro pensar “como poderiam me amar” se soubessem que estou assim? Ou continuar me amando?! Como eu mesmo posso me amar?!
É como se eu não tivesse um eixo, um ponto de equilíbrio. Como se houvesse sempre uma parte inconstante impedindo uma rota não variável !
Já que não sei o que fazer,... vou fazer alguma coisa... sei lá. O conhecimento não me deu prazer, nem sei se deu, mas o desconhecido parece que sim. Serão sérias as pessoas que nem nos conhecem e nos acolhem com tantos sorrisos ? Desinteressados ? Interesseiros ? Bem ou mal ? Há quem me ame ? Verdade ? Será que quero ? Não sei,... a nova vida é interessante,... mas não sei !
Sócrates dizia:  “ tudo que sei é que nada sei !”.
Então, quem sou para me perturbar com tantas dúvidas se o próprio filósofo mais considerado do mundo também nada sabia ?
Há ventos favoráveis para quem sabe aonde quer chegar !
O que fazer ? Não sei,... se alguém souber... !


Alguém me disse: " jogue fora essa Dúvida que não te merece, pois a Certeza bate a sua porta. A dúvida é cruel e viver sob seu domínio é também ser cruel com a Certeza que tanto o espera ! " Sei lá... bem provável eu também esteja cometendo esse mal juízo e ferindo irremediavelmente a Certeza, que nem conheço, mas que me assegura ser a única certeza que sabe "O QUE FAZER" !


... o que fazer quando alguém não entende, finge não entender ou não quer entender ? Ou,... talvez eu é que não esteja entendendo nada mesmo. O que fazer ?


... " estava um Padre afogando-se em uma enchente. Passou um tronco e ele rezou para que passasse um barco. Passou outro tronco e ele continuou rezando por um barco,... vários troncos, várias tábuas ... e ele rezando por um barco.  Ó meu Deus ! Tanto rezo e não me ajudas ? Então Deus respondeu: Mandei muitos troncos e muitas tábuas para que se salvasse mas apenas rezar e esperar por um milagre e não perceber todas as oportunidades que Eu lhe dei... É preciso estar atento a todos os sinais que Lhes mando a todos os momentos e agir, fazer alguma coisa... mesmo que seja apenas uma Intuição, creia que Meu pensamento atinge a todos para que consigam dissipar a Dúvida e procurar a Certeza pois só aqueles que crêem em uma nova chance é que serão os vencedores e viverão felizes ! "
-   o   -
Raul de Abreu Neto
15 / 09 / 2010

7 comentários:

  1. Raul:

    Você é o melhor escritor atual... e caminha... na direção dos melhores para a Academia. Sem demagogia !

    Por isso Deus nos coloca diante de pessoas
    como você. Te admiro meu amigo e escritor.
    Obrigado

    Heloiza

    ResponderExcluir
  2. Querida amiga Heloiza. E nós nunca nos vimos ainda, né ? Agradeço muito sua gentileza com o comentário que fez. Escrevo só pra me distrair e, as vezes, pra por pra fora algum sentimento. Ainda bem que há pessoas boas como voce que incentivam a continuar escrevendo.
    Abraço com crinho, Raul Abreu

    ResponderExcluir
  3. Querido Raul
    Filosofando a sua alma profundamente senti no fundo da minha a angustia ....?????

    "O amor é um estado de ser próprio do ser humano, é inerente a ele. Isso significa que caímos em erro quando imaginamos que um dia alguém surgirá para produzir amor em nós.O amor já esta em nós."

    ResponderExcluir
  4. Prezada(o) Anônima(o).... Gostaria de saber quem você é, já que você sabe quem eu sou. Somos amigos ? Use meu email: rabreusp@uol.com.br e por favor diga quem você é.

    Gostei de seu comentário. E gostaria de conversar mais sobre isso com voce, se for possível (particularmente).

    Grato, Raul Abreu

    ResponderExcluir
  5. mais uma vez....ele........o tempo ! , gerenciador do antes e do depois....

    Que possamos nós aprender a fazer de nossas "duvidas" um motor..........jamai e apenas um freio.... só assim tomaremos a conduta......correta e....todas as duvidas se dissiparão!



    beijo n'alma


    lica- inv/10

    ResponderExcluir
  6. sandra brunow freitas24 de setembro de 2010 21:09

    Raul.
    Li os comentários...
    Citou vários filósofos para encontrar as respostas ou suas possíveis fugas ?
    Gostaria que resgatasse talvez sua auto estima e mais otimismo.
    Você é um homem maravilhoso, gentil, inteligente, generoso,...
    Doença de amor... sei que dói muito... complicado...
    Ainda está indeciso, qual das duas... o perdão... a busca de seu EU INTERNO e EXTERNO?
    Você é a pessoa mais linda e importante nesta vida.
    Não tenha medo/receio do novo ! Enfrente !!!!!!!!!
    Bjssssss

    ResponderExcluir
  7. Sandra, agradeço sua observação. O que fazer é uma pergunta que persegue todo dia todas as pessoas. Muitas vezes percorremos caminhos que julgamos certos... mais tarde descobrimos que poderiamos ter ido por outros... A gente vive errando procurando acertar. Sei que Deus nos dá o livre arbítrio mas o Ser humano é apenas o Ser humano e não aceita erros, se perdoa, apenas perdoa talvez por acrediar que é uma obrigação Divina, mas no seu íntimo não oferece oportunidades de recompor e recomeçar. O Ser Humano é assim mesmo, julga bom quando é bom e condena quando julga não ser aquilo que esperava. O QUE FAZER ?

    ResponderExcluir